Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘diário’ Category

Lembrei-me novamente daquela mesa em que todos estavam espumando e sem muita alternativa enxugavam com o guardanapo de pano a baba no canto da boca. Usá-lo era tão natural quanto a baba. Eu também usava o guardanapo e era horrível; completamente incompatível com o acúmulo de saliva. Como que essa mesa foi montada? Não queria atrapalhar ninguém, mas eu não estava conseguindo segurar o riso, a baba, o mijo, o sangue. Quando podia, levantava-me, saía, mas não havia nada envolta da mesa, o jogo é aqui, entre palavras, saliva, vida.

Read Full Post »

em cuias

acumula-se

o tempo de compor-se

Read Full Post »

Aconteceu de tornar-se uma palhaça de trupe formada por um moço cumprido que toca sanfona, um fotógrafo de paredes, edifícios e quarteirões demolidos do bairro da Luz, uma mulher de Recife, feminista, o homem que morou dez anos na Inglaterra e interessa-se por filosofia da matemática e o estudioso de paisagem e poesia. Trupe de pessoas da cidade, pessoas de cantos, arestas, que com uma suficiência satisfatória de alegria saem com seu bloco pelas ruas, durante o Carnaval paulistano. Tudo beira, silenciosamente, a decadência. A cidade foi evacuada, o sol parece de inverno, a palhaça acredita na potência de agitamento causado pela sua indumentária de bolas coloridas de vermelho, amarelo, verde, um babado, um dourado. Promessa ínfima e reticular no cenário de restos. Se não houvesse graça nisso, a palhaça derradeira certamente não faria a travessia com o bloco carnavalesco.

Read Full Post »

espírito do tempo

é com pressa

para já estar no futuro

atrasada

Read Full Post »

toque

olhei minha barriga
e ela era a de uma velha
enrrugada
a pele
eu podia beliscá-la
beliscar-me
e toda ela demorava-se
a voltar para o lugar
de onde havia saído
a pele
não sei dizer se mais fina
mas certamente com outra gramatura
consistência
um pouco mais fria
deitada sob a mesa
a toalha descortinava-se
para luz que vinha de cima
quem sabe
eu estivesse dentro de uma arena
tourada
descoberta da velhice

Read Full Post »

out 2009

não estive aqui

em cada passo

só para correr

mais rápido que a paisagem

raspei cenas

arestas encolhidas

no canto dos olhos

Read Full Post »

domingueira

Enquanto o dia ia

ela ficava

no fundo de suas ruminanças

descrevia na imaginação

o lugar onde estava sentada

varais pendurados nas janelas altas

antenas a lhe atravessar

o helicóptero chegou

mais uma vez

ela ficava atrasada

para chegar ao dia seguinte

já era noite

ela ainda passeava

pelas curvas do cenário

retida em detalhe

de ínfima importância

sem pressa

ainda se acostumava com o escuro

sobre a paisagem

as luzes acesas dos apartamentos

vozes indistintas

tudo cabia em seu domingo

Read Full Post »

Older Posts »